Onde apostar em 2012 no mercado de trabalho

Mantendo a tradição, a economia cearense deve continuar crescendo acima da média do País também em 2012. Para o ano que vem, os prognósticos apontam que o comércio internacional, a exemplo de 2011, manterá o crescimento; e as áreas sociais e de infraestrutura serão alvos de investimentos maciços por parte do governo estadual. Não esquecendo ainda vocação natural do Ceará para o turismo, segmento que por si só movimenta dezenas de atividades; assim como a intensificação dos preparativos para que Fortaleza sedie a Copa do Mundo de 2014.

Com o mercado aquecido, nada mais natural que os empregos continuem a surgir. Para este ano, a previsão do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT) é de que entre 65 mil e 70 mil vagas com carteira assinada sejam criadas no Estado, considerando apenas o intermédio do sistema público de emprego.

Porém, as oportunidades não param por aí. “Hoje, o Nordeste é fundamental para as empresas, com esta região passando a receber aportes em áreas as quais não se apostava no passado. Como exemplo, citamos a ida de duas montadoras de veículos para Pernambuco, de uma siderúrgica e de uma refinaria para o Ceará e de uma outra unidade de refino para o Estado do Maranhão. Dessa forma, além da siderurgia e do metal-mecânico, o setor de óleo e gás tende a crescer, inclusive com a perfuração de mais poços tanto no mar como em terra”, lembra Arthur Vasconcellos, sócio da CTPartners, consultoria especializada em recursos humanos, consultada pelo Jornal.

Demanda aquecida
Para ajudar a identificar onde estão essas vagas e quais são as áreas mais promissoras deste novo ano, o Diário do Nordeste pediu a opinião de especialistas do setor.

De acordo com eles, a demanda por trabalhadores deve, sim, manter-se aquecida. Porém, o nível de qualificação exigido será cada vez maior. Em 2012, mais uma vez, a construção civil, a tecnologia da informação, as telecomunicações e as áreas relacionadas ao turismo, à saúde, ao bem-estar e à estética continuarão a demandar pessoal.

“Houve uma desaceleração dos índices que medem o crescimento industrial e a saúde da economia brasileira neste final de 2011, consequência do cenário externo internacional, em especial a crise europeia. No entanto, acreditamos que o mercado de trabalho se recuperará rapidamente e voltará a gerar alto volume de emprego em virtude dos investimentos previstos para a Copa do mundo e das obras da segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)”, afirma o sócio-diretor da Véli Soluções em Recursos Humanos, Israel Araújo.

Mais investimentos
De acordo com ele, ainda há muito a ser feito em termos de infraestrutura no Brasil para recepcionar um evento de tamanho porte e visibilidade. “São bilhões de investimentos para bilhões de expectadores. Seguindo essa tendência, todas as profissões tendem a se beneficiar dessa onda positiva. Tanto a indústria, que supre as prateleiras de mercadorias, o comércio, que as faz circular, e o setor de serviços, em especial os relacionados à construção civil e turismo, tendem a gerar oportunidades para todas as profissões relacionadas direta ou indiretamente com as atividades descritas”, emenda.

Estoque
70 mil novos postos de trabalho com carteira assinada devam ser criados no Estado, em 2012, tendo como intermediário apenas o sistema público de emprego (Sine).

Escreva uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>